Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Petrópolis (RJ): ainda há previsão de mais chuva

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

Foto: iStock

4 min de leitura


A Defesa Civil  de Petrópolis, na região serrana do Rio De Janeiro, pôs o município em estágio de crise no fim da tarde desta terça-feira, 15 de fevereiro de 2022, por causa da chuva extrema que caiu sobre a região. Vários rios transbordaram e muitas áreas de Petrópolis ficaram completamente alagadas. Diversas ruas se transformaram em rios. Morros deslizaram devido ao grande volume e força da chuva. 


A formação das nuvens que provocaram toda essa chuva está  relacionada com a chegada de uma frente fria ao litoral do estado do Rio de Janeiro e ao ar abafado que já estava espalhado por todo o estado.

 

Esta frente fria já está na altura do litoral do Espírito Santo, mas ainda estimula áreas de instabilidade sobre o estado do Rio de Janeiro no decorrer esta quarta-feira.

 

 

 

Foto: iStock

 

 

Risco de chuva forte aumenta na tarde desta quarta

 

A situação de Petrópolis, e de outras cidades da região serrana do Rio de Janeiro, é de alerta para mais chuva nos próximos dias


O risco de chuva forte volta a aumentar no decorrer da tarde desta quarta-feira, 16 de fevereiro. O tempo permanece muito instável de quinta (17) até o domingo (20),  por causa da formação de nova ZCAS - Zona de Convergência do Atlântico Sul, sistema meteorológico que já foi observado várias vezes neste verão, responsável por vários eventos de chuva muito forte no estado do Rio de Janeiro, mas também em Minas Gerais e no Espírito Santo


No período de 16 e 20 de fevereiro de 2022, a região serrana do Rio de Janeiro poderá ter novos episódios de chuva forte, porém sem alcançar um volume extremo em tão pouco tempo como o que ocorreu sobre Petrópolis nesta terça-feira.


Outros deslizamentos de terra são prováveis nos próximos dias, com o completo encharcamento do solo após a chuva extrema desta terça-feira.

 


O que causou a chuva extrema?

 

A formação das nuvens que provocaram a chuva excepcional está relacionada com a chegada de uma frente fria ao litoral do estado do Rio de Janeiro e ao ar abafado que já estava espalhado por todo o estado. As nuvens muito carregadas se formaram de maneira bastante localizada sobre Petrópolis. As nuvens não vieram de outro lugar! É possível ver a isto na animação de imagens geradas pelo satélite GOES 16

 

tempestade em petrópolis 15-2-2022

 

 

 

 

 

Quanto choveu?

A quantidade de chuva que caiu sobre Petrópolis, em apenas 3 ou 4 horas, pode ser considerada como um evento raro, que poucas vezes ocorre.

.

Em apenas 4 horas, entre 14h45 e 18h45, o INEA registrou 221,4 mm na estação Alto da Serra/Palatinado. O Cemaden registrou 210,0 mm em 3 horas, entre 16h20 e 19h20, na estação São Sebastião/GEO. Estes volumes de chuva foram extremamente elevados e raros para um período de apenas 3h e 4h , superando a média para todo o mês de fevereiro que é de aproximadamente 200 mm. No mesmo período choveu 186,6 mm no posto Dr. Thouzet, 131,2 mm no posto Independência, 128,4 mm no Quitandinha/GEO, 121,4 mm no Bingen/Geo e 120,9 mm, no posto Araruama/Quitandinha.

+ mais notícias