Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Volta a chover forte sobre Petrópolis

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

 

Fortes núcleos de instabilidades se organizaram em diversas áreas do estado do Rio De Janeiro provocando fortes pancadas de chuva. Um destes núcleos, que se formou sobre o Sul Fluminense, avançou em direção ao Grande Rio e à região Serrana Fluminense agora na tarde desta quinta-feira, 17 de fevereiro de 2022, e voltou a chover de forma intensa na região de Petrópolis. Além de Petrópolis, a chuva veio forte no fim da tarde em áreas da Baixada Fluminense

 


Manchas vermelhas indicam chuva forte

 

Noite quinta é chuvosa

 

Estas áreas de instabilidade continuam espalhadas sobre o estado do Rio de Janeiro provocam mais chuva no decorrer da noite desta terça-feira. Há risco de temporais, com raios e vento forte na cidade do Rio e também na região de Petrópolis e em outros locais da região Serrana Fluminense e na Baixada Fluminense.

 

Previsão de mais chuva para os próximos dias

Um novo episódio de Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) se organizou nesta quinta-feira vai manter as condições de chuva e muitas nuvens sobre o estado do Rio de Janeiro até o domingo, 20 de fevereiro. Até lá, há risco de chuva forte e volumosa em diversas regiões do estado, incluindo a região de Petrópolis


Volumes de chuva


De acordo com o CEMADEN – Centro Nacional de Monitoramento e Desastres Naturais - em apenas 1 hora, entre 17h10 e 18h10, foram registrados mais 30 mm em diversos locais de Petrópolis e da Baixada Fluminense, que são considerados volumes elevados para este curto período de tempo.

 

 

Chuva forte no Grande Rio e região serrana do RJ

 

 

É possível prever chuva como a de Petrópolis?


 Na tarde de 15/2/2022 choveram 210 mm em apenas 3 horas sobre a cidade de Petrópolis, na região serrana do estado do Rio de Janeiro. O volume de chuva extremamente elevado, caindo em tão pouco tempo, causou uma das maiores tragédias associadas eventos meteorológicos registradas no país. Com a evolução atual da meteorologia no Brasil, seria possível prever uma tempestade como esta? Josélia Pegorim conversa com Marcio Custódio, meteorologista chefe da equipe de modelagem numérica do Labs/Climatempo.

 

+ mais notícias