Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Entenda as tempestades de inverno que a Europa enfrentou

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

6 min de leitura

Na semana passada a Europa foi atingida por duas tempestades de inverno, ou seja, fortes sistemas frontais que recebem nomes. As tempestades provocaram cancelamento de voos, queda de energia elétrica, destruição em obras e construções e, de acordo com a imprensa, ao menos 16 vítimas. 


Tempestade Dudley

 

A primeira foi a tempestade de inverno Dudley (que na Alemanha recebeu o nome de Ylenia), atingiu o Reino Unido por volta do dia 16 de fevereiro de 2022 e a Alemanha no dia 18. Dudley chegou a causar mortes na Alemanha e na Polônia, lembrando que também causou danos no Reino Unido e na Holanda.

 

Os ventos na Alemanha chegaram aos 152km/h. Em Schleswig-Holstein, no norte da Alemanha, os níveis dos rios subiram mais de 1,5 metros, como o do Rio Elba, que ficou de 1,5 a 2,0 metros acima do seu nível normal. Essa tempestade Dudley foi semelhante ao que ocorreu em Janeiro de 2007, a tempestade de inverno Kyrill, que causou destruição no sul da Inglaterra e no centro da Europa naquele momento.

 

Tempestade Eunice

 

Logo em seguida, a Europa é atingida pela tempestade de inverno Eunice (recebendo o nome de Zeynep na Alemaha), neste caso está associada a um ciclone extratropical que é explosivo ou bomba. E ao mesmo tempo que Eunice atingia o Reino Unido, causando fortes ventos, havia também a influência da tempestade Dudley por volta do dia 18/02, no Reino Unido e que seguiu para demais áreas da Europa no último final de semana.

 

Ou seja, a Eunice passando além da Irlanda e o Reinou Unido, pegou a França, Benelux ( Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo), Dinamarca, Alemanha, Polônia e outros países da faixa norte da Europa. Houve também relatos de mortes, de mais de 15 pessoas, como na Irlanda, Bélgica, Inglaterra, Holanda e Alemanha, por conta dessa tempestade de inverno. Segundo o Washingtonpost, The Guardian e Met Office, a tempestade de inverno Eunice pode ter sido a mais intensa dos últimos 35 anos na Europa. Ou seja, desde a "grande tempestade" em outubro de 1987 que atingiu a Grã-Bretanha e o norte da França.


A Ilha de Wight, na Inglaterra, relatou recentemente uma rajada de vento, que foi recorde para o país, com 196 km/h, superando o recorde anterior que era de 190 km/h, estabelecido em 1979 em Gwennap Head, na Cornualha. Durante o final de semana formou um novo ciclone bomba, da tempestade de inverno Franklin (ou Antonia, nomeada pela Alemanha). Causando temporais e danos já no domingo(20) na Europa.

 

 

O que é uma tempestade de inverno na Europa e no Hemisfério Norte?


As tempestades de inverno são ciclones extratropicais (intensas áreas de baixa pressão atmosférica) associados com fortes frentes frias que podem passar pela Europa durante o inverno do Hemisfério Norte. Estes sistemas causam fortíssimas rajadas de vento, em geral superiores a 100 km/h, chuva volumosa com potencial para alagamentos e enchentes e também podem causar nevascas em algumas áreas.O vento forte sobre o oceano forma grandes ondas que avançam para a costa dos países europeus, por exemplo.  Nestes casos, além das frentes frias e ciclones extratropicais, houve influência do Polar Vórtex (Vórtice Polar) estar acima do normal neste momento.

 

O Polar Vórtex  é uma baixa pressão atmosférica fica na estratosfera, entre 10 e 50km de altitude, e que recentemente está mais forte que o normal. E com o auxilio do forte jato polar (correntes de ventos acima dos 9km de altitude) e do forte contraste de temperatura do ar, auxiliaram também a forte intensificação da área de baixa pressão (ou ciclone extratropical).

 

Lembrando que o ciclone extratropical é um sistema de baixa pressão atmosférica que se forma a partir do contraste de temperaturas horizontais existentes na atmosfera e geralmente se desenvolvem em um ar mais quente e úmido, onde acaba ocorrendo movimentos ascendentes, fazendo com que se desenvolvam nuvens de chuva. Vale ressaltar que uma frente fria ou quente sempre está associada um ciclone extratropical. 

+ mais notícias