Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Incêndios catastróficos ocorrem em Corrientes, Argentina

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

 

Fonte: Reuters

 

Bombeiros argentinos intensificaram os esforços no domingo, 20 de fevereiro, para apagar um incêndio florestal devastador na região rural de Corrientes que queimou mais de 600.000 hectares.


Os incêndios em áreas do norte da Argentina ocorrem desde meados de fevereiro e ganharam força neste fim de semana na província de Corrientes. 

 

 

A província de Corrientes fica no nordeste da Argentina e faz fronteira com

o Rio Grande do Sul

 

Uma das regiões mais atingidas é de Ituzaingó, onde os bombeiros da região tentavam extinguir as chamas que varriam o pasto, batendo as brasas, enquanto os moradores ajudavam a encharcar os campos com água.

 

Luis Candia é um desses moradores que vem ajudando no combate ao incêndio. Ele se preocupa com o impacto econômico e ambiental dos incêndios.


"A verdade é que a província de Corrientes está passando por uma catástrofe com os incêndios", disse. "Muitos animais foram perdidos, flora e fauna, e ainda por cima há os empregos. O que acontecerá conosco se tudo estiver perdido amanhã."

 

Incêndios em Corrientes, Argentina, já ocorriam em 16/2/2022 (foto: REUTERS/Sebastian Toba )

 


Muitas das plantações de erva-mate da Argentina estão localizadas em Corrientes, causando à região um golpe econômico que deve custar milhões.


O incêndio florestal foi alimentado por altas temperaturas e condições de seca em toda a região. 

 

Fumaça dos incêndios de Corrientes chega ao RS


Bombeiros especializados do Rio Grande do Sul também foram para a Corrientes, para ajudar a combater os incêndios. 

 

O céu de São Luiz Gonzaga, no oeste do Rio Grande do Sul, ficou coberto pela densa fumaça que vem de grandes incêndios que ocorrem na província de Corrientes, na Argentina, que faz fronteira com o Rio Grande do Sul. As imagens são de Joseana Mattioli Kurylo , em 20/2/2022.

 

 

 

+ mais notícias