Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Outono 2022: visão geral para o Brasil

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

8 min de leitura

O outono de 2022 começa no dia 20 de março, às 12h33, e se estende até às 6h14 do dia 21 de junho de 2022, pelo horário de Brasília.

 

Pela Climatologia, o outono no Brasil traz uma grande diminuição da chuva no Sudeste e no Centro-Oeste do país. Ondas de frio mais intensas que já começam a causar queda de temperatura acentuada na Região Sul, mas ainda é uma época de bastante chuva especialmente nas áreas litorâneas da Região Nordeste do Brasil e também no extremo norte do país. É época também de ocorrência das primeiras passagens de ar frio de origem polar no sul da Região Norte do país atingindo o Acre,  Rondônia e o sul do Amazonas.

 

Outono com La Niña

 

O outono 2022 terá características fora do seu padrão usual por causa do fenômeno La Niña, que continua ativo e se intensificou no Pacifico Equatorial Leste. As condições oceânicas no Atlântico Sul também terão muita influência na estação. Temperaturas acima do normal na costa leste do Nordeste vão facilitar a formação de áreas de instabilidade que espalham chuva forte entre o litoral do Rio Grande do Norte e de Sergipe. A pouca diferença de temperatura  (fracos gradientes de temperatura) entre o Atlântico na costa Sudeste do país e a região entre a costa da Região Sul e do Uruguai vai influenciar o deslocamento das frentes frias. As frentes frias do outono tendem a ser mais oceânicas (pouco ar frio pelo interior do continente) do que continentais (mais ar frio pelo interior do continente)

 

 

 

Outono 2022: visão geral no Brasil

 

Em linhas gerais, a ideia do outono de 2022 é que tenha menos chuva do que o normal nos estados da Região Sul e também em São Paulo, Mato Grosso do Sul e áreas como o sul de Minas Gerais. Mas no centro-norte do país, o outono de 2022 deve ser caracterizado por condições mais úmidas do que o normal, especialmente no começo da estação.

 

O outono de 2022 vai começar com uma frente fria que chega ao país com força suficiente para avançar até o norte de Minas, sobre o Espírito Santo e sobre o sul da Bahia. Isso vai fazer com que a circulação de ventos sobre o Brasil force uma concentração de umidade na parte central e norte da Região Sudeste, na porção norte da Região Centro-Oeste e também sobre o Tocantins e a Bahia fazendo com que essas áreas tenham mais nebulosidade e chuva nos primeiros dias do outono. 

 

Ao mesmo tempo, no centro-sul do país, o padrão de tempo seco e frio deve predominar no começo do outono. O ar frio de origem polar chega com moderada intensidade com esta frente fria e causa uma queda de temperatura acentuada, se comparado ao que temos observado nos últimos meses.

Porém as áreas litorâneas de Santa Catarina, do Paraná e de São Paulo devem ter volumes de chuva relativamente altos no começo do outono.

 

Ao longo da estação, por causa do Atlântico Sul mais quente do que o normal na costa leste do Nordeste, mais áreas de instabilidade vão se organizar na costa leste nordestina causando fortes pancadas de chuva em áreas do litoral, da zona da mata e agreste, entre o Rio Grande do Norte e Sergipe. Esse é um outono de alerta para chuva volumosa nas capitais Natal, João Pessoa, Recife, Maceió e Aracaju.

 

A condição oceânica de temperaturas mais altas do que o normal na costa norte do Nordeste vai ajudar a manter a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT)mais próxima do Brasil

 

O restante do mês de março, e também o mês de abril, deve ser com chuva frequente e muitas vezes volumosa na costa norte do Brasil, entre o Amapá e o Rio Grande do Norte. Estados como Roraima, a parte norte do Amazonas, o norte do Pará e também áreas do norte do Tocantins serão beneficiadas pela chuva da ZCIT no primeiro mês e meio do outono.

 

 

Ar frio ganha força em maio

 

O destaque para maio será a entrada da primeira onda de frio forte de outono, esperada para segunda quinzena deste mês. Até lá, algum resfriamento leve pode acontecer nos estados do Sul, mas não se espera no decorrer do mês de março e abril nenhum evento de frio extremo que possa realmente chamar atenção e causar geadas preocupantes.

 

Áreas serranas no Rio Grande do Sul e de Santa Catarina poderão apresentar alguma geada em abril, mas concentradas nas áreas mais altas, acima de 1.000 metros de altitude.

 

É na segunda quinzena de maio que o ar frio de origem polar poderá chegar com força a São Paulo, parte do Rio De Janeiro e Minas Gerais e ao Mato Grosso do Sul fazendo a temperatura baixar para valores próximos e um pouco abaixo dos 10°C. 

 

Durante o mês de maio, a passagem de frentes frias pelo Sul do Brasil, Mato Grosso do Sul e São Paulo pode provocar chuva forte nesses estados. Áreas como o Sul de Minas, a zona da mata mineira e o estado do Rio de Janeiro também podem sofrer com alguns temporais com as frentes frias de maio.

 

Junho com umidade atípica

 

O mês de junho pode surpreender com o excesso de umidade, em relação aos padrões normais do mês. Pela climatologia, o mês de junho já é bastante seco nos estados do Sudeste e do Centro-Oeste e o Sul do Brasil tem eventos de chuva na passagem das frentes frias. Mas em junho de 2022 espera-se uma configuração de ventos sobre o país que force uma persistência de ar úmido acima do normal em áreas como São Paulo, o centro-norte do Mato Grosso do Sul, no sul de Mato Grosso, no Rio de Janeiro, no sul de Minas Gerais e de Goiás. Isto vai fazer com que essas áreas tenham bastante nebulosidade e mais chuva do que seria o normal.

 

É importante lembrar que as médias de precipitação para junho são bastante baixas em todas essas áreas. Assim, acumulados de 30 ou 40 mm em uma semana, por exemplo, já representam um volume de chuva acima da média nas regiões no interior do continente.

 

Resumindo o outono de 2022 em poucas palavras: um outono com menos chuva do que o normal no centro-sul do país e frio, mas sem extremos; um outono com mais chuva do que o normal nos estados do Norte e Nordeste do Brasil.

+ mais notícias