Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Brasil é o 4° no ranking de Queimadas na América do Sul

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

 

Não é de hoje que a questão do desmatamento e das queimadas no Brasil gera preocupações de cunho ambiental e social. Para se ter uma ideia, o país é responsável por 40% da perda de Floresta Tropical, devido ao desmatamento, de acordo com os dados da Global Forest Watch. Representando uma perda de 1,5 milhão de hectares de floresta nativa, por meio de queimadas e incêndios descontrolados.

 

GettyImages-1268271089

                                             Foto: Getty Images

 

Se compararmos entre os países da América do Sul, o número de focos de queimadas detectados pelo satélite de referência entre 01/01 a 29/04/2022, observamos que o Brasil é o 4° colocado com 7.996 focos de queimadas, ficando atrás da Argentina com 12.749, da Colômbia com 12.908, e da líder Venezuela com 15.657 focos de queimadas.

 

Já em relação ao ranking por Regiões Brasileiras, o número de focos detectados pelo satélite de referência, aponta a liderança para o Centro-Oeste, com 3086 focos detectados, até o dia 29/04. Já em relação aos estados que mais foram detectados focos de queimadas, os três primeiros são:

 

Mato Grosso (Centro-Oeste) - 2087

Bahia (Nordeste) - 618

Roraima (Norte) - 607

 

Dentre os estados da Região Norte, entre os meses de janeiro e o final de abril, Rondônia teve um aumento de 39% no número de focos de queimadas se comparado com o ano passado. Já o Amazonas, registrou um aumento de 94%. Saiu da marca de 105 em 2021 para 204 focos queimadas em 2022. Vale ressaltar que estamos em um ano de La Niña, o que significa dizer que, a chuva foi e continua intensa no Norte do país. Segundo dados mais recentes publicados no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), as queimadas no bioma da Floresta Amazônica são responsáveis por 33,4% de todas as queimadas no país.

Todas as informações contidas nesse texto, são obtidas a partir do Programa Queimadas no site do INPE.

 

 

+ mais notícias