Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

74% da soja já foi colhida no Rio Grande do Sul

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

6 min de leitura

De acordo com o Informativo Conjuntural, produzido e divulgado no dia (05/05) pelas gerências de Planejamento e Comunicação da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), a ocorrência de chuvas frequentes e em alto volume, na maior parte do Rio Grande do Sul, impossibilitou a colheita de soja em parte das lavouras ou ocasionou a sua realização em condições fora da normalidade em pequenos momentos ensolarados. Apenas no extremo norte do Estado, onde ocorreram menores precipitações, a operação prosseguiu em ritmo adequado.

 

A proporção de lavouras colhidas elevou-se para 74%; 22% estão em maturação; e algumas já superam o momento ideal de corte. A expectativa de produtividade da soja  manteve-se próxima a 1.500 kg/ha.

 

soja_2

Foto: istock- colheita Soja

 

Em alguns municípios, o volume precipitado superou 300 mm no período e, nas localidades onde os volumes foram intensos, houve, até mesmo, danos nas lavouras, causados pelo escorrimento superficial de águas, pelo carreamento de solo e fertilizantes e pela formação de voçorocas.

 

De maneira geral, não temos relatos de perdas por apodrecimento ou germinação dos grãos por se tratar da primeira sequência de chuvas expressivas sobre as lavouras após a fase de maturação. Os danos foram concentrados nas áreas de várzeas e em áreas próximas de cursos d´água na metade sul do Estado, onde houve forte acamamento de plantas e o alagamento por período prolongado.

 

Contudo, há grande preocupação com a ocorrência de novas precipitações, que podem acarretar perdas por avarias nos grãos em lavouras maduras expostas a essa condição de tempo. 

 

Milho

 

A colheita do cereal permaneceu com avanço muito lento, prejudicado pelo excesso de chuvas e pela prioridade dada à operação na cultura da soja. Nesse período, o índice de colheita elevou-se apenas 1%, alcançando 85% dos cultivos.

 

A recorrência de chuvas beneficiou as lavouras semeadas tardiamente ou em safrinha, as quais se encontram majoritariamente em florescimento e em enchimento de grãos. Parte das lavouras, madura ou em maturação, apresentou aumento da incidência de doenças da espiga, provocadas por fungos causadores de grãos ardidos. A expectativa de produtividade para a safra permanece em 3.500 kg/ha, com decréscimo de 55% da inicialmente projetada. 

 

Tendência do Clima

 

Um vórtice ciclônico de níveis médios favorece a ocorrência de granizo hoje (10/05) no oeste da Região Sul. Este sistema não traz uma grande quantidade de chuva para o Brasil e fica restrita ao Sul e ao sul de Mato Grosso do Sul com acumulados de 15 mm em algumas localidades. Na quarta-feira (11), será um dia com mais nuvens do que chuva.

 

Ao longo da costa do Nordeste e norte da Região Norte há condições de chuva. 

 

A partir de sexta-feira (13/05), um sistema de baixa pressão se forma entre a Argentina e o Paraguai e traz chuva para o Rio Grande do Sul. Este sistema avança pelo Brasil e leva chuva para a semana que vem em áreas do Sudeste e Centro-Oeste do país. Porém, este sistema não consegue levar chuva significativa para Goiás, Mato Grosso, norte de Minas, Matopiba. Os produtores devem ficar atentos ao desenvolvimento do milho que foi instalado de forma mais tardia. 

 

Os modelos de previsão indicam chuva de 20 milímetros para as áreas cafeeiras da região da Mogiana e sul de Minas. No dia 20 de maio, um outro sistema se forma e traz chuva novamente par ao Sudeste. 

 

Entre os dias 17 e 23 de maio, há condições para chuva moderada na costa do Nordeste e no norte da Região Norte.

 

Possibilidade de queda de temperatura e muito frio

 

Os modelos de previsão começaram a indicar uma tendência de uma forte queda de temperatura e frio. Na sexta-feira (13/05) a temperatura cai nas áreas mais altas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina com potencial para ocorrência de geadas. A tendência é que o frio ganhe força na Região Sul e o dia 19/05 pode ser o dia mais frio com temperaturas abaixo dos 3ºC sendo observado em uma extensa área do centro, leste e sudoeste do Paraná. Em São Paulo, também há chance para geada entre os municípios de Assis e Itapeva.

 

Fique ligado as atualizações deste boletim ao longo da semana em nossos canais Climatempo e Agroclima.  

 

 

+ mais notícias