O que provocou o recuo do mar?

16/08/2017 às 15:25
por Bianca Lobo

Oferecimento
Praia do litoral paulista registrou forte vazante

Conforme previsto e noticiado pela Climatempo, entre os dias 09 e 12 de Agosto tivemos uma agitação marítima muito forte na costa do Sul e do Sudeste que chamou atenção da população destas duas regiões. Ao longo deste período, tivemos o fechamento do porto de Rio Grande, no Rio Grande do Sul, por causa do mar extremamente agitado e aproximadamente 45 contêineres caíram de um navio, na entrada do Porto de Santos. Ondas de até 6 metros foram observados no Rio de Janeiro.

 

Logo após essa agitação marítima, ocorreu um recuo do mar. As fotos abaixo são da praia do camaroeiro em Caraguatatuba, litoral paulista,  que no último domingo, 13 de agosto amanheceu com a forte vazante. 

 

 

Foto: João Rapacci - Caraguatatuba - SP

 

 
Foto: João Rapacci - Caraguatatuba - SP

 

O que provocou este recuo no mar?

 

Espiral de Ekman

 

De acordo com a meteorologista Bianca Lobo, a fricção gerada pelo vento e a superfície do mar transfere uma pequena quantidade de energia para a água, iniciando o movimento do mar. Quando os ventos são persistentes, uma corrente de superfície no mar se desenvolve.

 

 

Essa corrente formada pelos ventos persistentes sobre o oceano não se move paralelamente à direção do vento. Devido a ação da força de Coriolis, o movimento da corrente gerada cria um ângulo com relação ao vento, para a direita no Hemisfério Norte e para a esquerda no Hemisfério Sul.

 

 

 

 

 Figura 1 - Efeito da espiral de Ekman para água profunda no Hemisfério Sul

 

 

A corrente de superfície força a movimentação da água abaixo dela, que irá transferir energia e gerar o movimento da camada seguinte e assim por diante. A corrente gerada na camada inferior será sempre mais fraca e apresentará um ângulo relativo à corrente superior (no Hemisfério Sul esse desvio será sempre para esquerda). Esse processo é chamado de Espiral de Ekman. No final, a coluna de água que sofre esse processo apresentará um movimento resultante de cerca de 90º em relação à direção do vento.

 

Portanto, quando temos ventos de componente norte paralelos a costa do Brasil, soprando persistentes e com forte intensidade, a água do mar será empilhada para fora da costa, resultando no recuo das águas no litoral.

 

Fonte: Informações baseadas no curso de Correntes Oceânicas do COMET - MetEd

 

Veja também: Alerta para mais chuva no MS, PR, SP

CIDADES RELACIONADAS

Rio de Janeiro - RJ

16°
min

23°
max

5mm / 80%