Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Rio Negro já atinge a segunda maior cheia da história

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

Foto: iStock -  Rio Negro - Manaus

Na atualização do nível do Rio Negro hoje (20), a cota máxima chegou aos 29,81 metros em Manaus. Esse valor já representa a segunda maior cheia da história. Não somente Manaus, mas muitos outros municípios amazonenses foram afetados pela cheia dos rios da bacia amazônica.

 

Toda a cidade de Manaus está em situação de emergência, com ruas totalmente alagadas e intransitáveis. A situação é realmente grave e até mesmo os atendimentos médicos móveis já foram acionados. Produtores locais de hortaliças e bananas perdem suas produções, moradores de alguns bairros só conseguem se locomover de canoas e muitos dependem de pontes de madeira para atravessar a cheia.

 

As bacias hidrográficas dos rios Negro, Solimões e Amazonas apresentam situações críticas e o volume de água pode subir ainda mais nas próximas semanas. Em 2012, ano da cheia histórica, o nível do rio Negro alcançou 29,97m, agora faltam apenas 16cm para atingirmos a marca histórica de 2012.

 

Chuva de maio em Manaus

 

A média Climatológica de chuva de Manaus é de 247mm para maio, a primeira quinzena do mês acumula 157mm, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, o que já representa 64% da chuva do mês. Neste ano, o mês de março foi o mais chuvoso, com quase o dobro da média para o período: o acumulado foi de 587mm contra a Climatologia de 300mm.

 

Um dos grandes motivos para a cheia de 2021, é a chuva acima da média na nascente do rio Amazonas, que tem sua origem na Cordilheira dos Andes, no Peru. Essa situação de aumento de chuvas é explicada principalmente por conta do La Niña presente entre a primavera de 2020 até o outono de 2021.

 


Próximos dias

 

Até o final do mês, há previsão de mais de 120mm para a cidade de Manaus, sendo que boa parte desta chuva ocorre até o próximo domingo (23). Sendo assim, maio promete novamente ser um mês de chuva acima da média na Capital amazonense.

 

+ mais notícias