Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

ODS 1: entenda a meta que quer acabar com a pobreza 

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

4 min de leitura


por Angélica Queiroz (O Mundo que Queremos)


Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, os ODS, fazem parte do plano de ação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, definida em 2015, durante uma reunião de líderes mundiais na sede da ONU, em Nova York. Os ODS são tarefas válidas para todo o mundo, com objetivos comuns para fazer do planeta um lugar mais justo e sustentável. Aqui a gente explica melhor e conta quais são eles.

 

Nenhum dos objetivos da lista está lá por acaso. Cada um foi eleito para estar nessa agenda prioritária por sua urgência e relevância. Para te ajudar a entender melhor, vamos destrinchar cada um dos ODS nesta série de artigos, começando pelo primeiro, ODS 1, que é o de erradicar a pobreza extrema em todas as suas formas e lugares.

 

 

ODS 1: Erradicação da pobreza

 

Saiba quais são os 17 ODS

 

Para entender esse ODS, precisamos começar explicando quem são as pessoas consideradas pobres extremos. De acordo com o Banco Mundial, são aquelas que vivem com menos de US$ 1,90 por dia. No entanto, essa é só uma média, já que uma definição mais acurada dependeria do custo de vida e das condições de cada país.

 

No Brasil, entende-se que quem vive com menos de um quarto de salário mínimo por mês está em situação de extrema pobreza. (*)

 

Segundo um levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o número de brasileiros vivendo assim aumentou com o fim do auxílio emergencial e hoje mais de 10% da nossa população é considerada extremamente pobre, ou seja, ganha menos que R$ 275 por pessoa/dia. Dados da ONU mostram que, com a pandemia, a situação se agravou em todo o mundo: 1,4% da população mundial, cerca de 150 milhões de pessoas, são extremamente pobres.

 

 

Meta do ODS 1

 

A meta do ODS número 1 é, até 2030, eliminar a extrema pobreza e

 

“reduzir pelo menos à metade a proporção de homens, mulheres e crianças, de todas as idades, que vivem na pobreza, em todas as suas dimensões, de acordo com as definições nacionais”.

 

Para isso, as recomendações da ONU são a implementação, em nível nacional, de medidas e sistemas de proteção social adequados a todos, especialmente os mais vulneráveis. A ideia é que os países desenvolvidos ajudem os menos desenvolvidos a chegar lá. Afinal, são metas comuns.

 

O objetivo é garantir que todo mundo tenha direito a recursos econômicos e a serviços básicos para ter uma vida minimamente digna. Assim, a expectativa é reduzir também a exposição e vulnerabilidade destes a eventos extremos relacionados com o Clima e outros choques e desastres econômicos, sociais e ambientais. Para cuidar do planeta, precisamos também cuidar das pessoas, não é mesmo?

 

(*) -  Um quarto (ou 25%) do salário mínimo atualmente corresponde R$ 275,00. A Lei 14.158, de 2021, promulgada pelo Congresso Nacional, fixou o salário mínimo no Brasil em R$ 1.100,00 a partir de 1º de janeiro de 2021. (Fonte: Agência Senado)

 

Leia também:

 

Semana do Meio Ambiente: Amazônia é tema da 10ª Mostra de Cinema Ecofalante 

 

Baixo Carbono: economia para o clima do futuro

 

 

+ mais notícias