Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Centro-Oeste em estado de alerta com a baixa umidade do ar

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

2 min de leitura

Foto: iStock

 

Depois da passagem de uma massa de ar de origem polar que derrubou as temperaturas na Região e ajudou a melhorar a umidade, agora as temperaturas se elevam e umidade do ar despenca no Centro-Oeste do país.

 

Por que a umidade relativa do ar fica baixa?

 

Na segunda-feira (05), as capitais do Centro-Oeste registraram índices abaixo dos 30%, com exceção de Brasília que registrou 31%.

 

Segundo os dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a capital mais seca do Brasil foi Cuiabá com apenas 13%, seguida por Campo Grande com 15%. As duas cidades entraram em estado de alerta em relação a umidade relativa do ar, que é quando os índices ficam entre 11 e 20%. Goiânia não ficou tão seca, registrou 23%, ficando em estado de atenção.

 

A terça-feira (06) também foi muito seca na Região, mas não tanto quanto o primeiro dia da semana. Cuiabá foi novamente a capital mais seca com 15% de umidade relativa do ar. Campo Grande registrou 19% e Goiânia teve até 22% de umidade no ar. Apenas Brasília teve umidade relativa do ar mínima acima dos 30%, registrando 32%.

 

 

Próximos dias


Os próximos dias vão ser de poucas mudanças sobre o Centro-Oeste. Um bloqueio atmosférico mantém a massa de ar seco sobre a Região e a umidade relativa do ar segue entre 21 e 30% em quase todas as áreas e entre 11 e 20% entre o norte de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

 

A umidade relativa do ar muito baixa, além de ser prejudicial para a saúde humana, também aumenta o risco para novos focos de queimadas, que passam a ser mais comuns a partir de julho.

 

 

 

 

Veja também: Queimadas em biomas brasileiros

+ mais notícias