Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Perigo: chuva volumosa e frequente em MG e na BA

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

Foto: Salvador (BA) por, Gustavo Messias

 

Áreas de instabilidades associadas a circulação de ventos em vários níveis da atmosfera e também a infiltração marítima, ajudaram a formar muitas instabilidades sobre o norte  e leste de Minas Gerais e também no interior da Bahia. 

 

Nestas áreas a chuva caiu de forma muito expressiva e volumosa, causando diversos transtornos como alagamentos e deslizamentos de terra. 

 

Temporais persistem no ES, MG e BA: confira o alerta!

 

Volumes de chuva

Confira os maiores volumes de chuva observado nos dois estados até o momento:

 

Bahia

 

Itamaraju: 230,6 mm
Porto Seguro: 42,7 mm
Guaratinga: 25,2 mm
Itabuna: 21,7 mm
Camacan: 6,6 mm
Nova Viçosa: 6,5 mm
Salvador: 4,7 mm

Volumes de chuva elevados na Bahia de acordo com CEMADEN – Centro Nacional de Monitoramento e Desastres Naturais.

 

Minas Gerais

 

Araçuaí: 60,6 mm 
Itaobim: 34,2 mm
Divinópolis: 23,8 mm
Dores do Indaiá: 15,8 mm
Montes Claros: 15,6 mm
Ouro Branco: 14,2 mm
Janaúba: 10,8 mm
Viçosa: 9,6 mm
Belo Horizonte: 7,0 mm
 

Volumes de chuva elevados em Minas Gerais segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET).

 

Chuva persiste nos dois estados nesta quinta-feira

 

A circulação de ventos em vários níveis da atmosfera provocam uma grande concentração de umidade sobre o norte de Minas, sul e oeste da Bahia.

 

A quinta-feira (09) ainda será marcada por tempo bastante carregado nestas regiões e tem risco para temporais. O sul baiano e nordeste de mineiro ficam em perigo para chuva volumosa e frequente no decorrer do dia.

 

Na sexta-feira (10) o risco de chuva mais intensa se mantém para o sul da Bahia e extremo nordeste de Minas Gerais. As instabilidades começam perder força ao longo do final de semana as condições para chuvas intensas diminuem.

 

A Climatempo alerta para o risco de enchentes, alagamentos e deslizamentos de terra.

 

 

 

Veja também: La Niña: o que é e quais os impactos no setor elétrico

+ mais notícias