Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Terceiro maior nível em 93 anos para fevereiro no Rio Muriaé-MG

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

8 min de leitura

Foto:iStock

 Revisado por: Paula Soares

 

O Rio Muriaé, em Patrocínio do Muriaé, em Minas Gerais, atingiu a cota de 7,96 metros entre os dias 09 e 10 de fevereiro. Isso significa que já transbordou, pois o nível de inundação é quando o nível do rio chega a 5 metros, segundo informações da Rede Hidrometeorológica Nacional (SNIRH), com dados da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico e Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM).

 

Destaca-se que este já é o maior nível dos últimos 2 anos para um de fevereiro. Desde 2020, quando registrou 9,53 metros de altura no mês de fevereiro. Porém, na manhã de sexta-feira, 11 de fevereiro, a cota do rio Muriaé, em Patrocínio do Muriaé, era de 6,64 metros.

 

nota1

Nível do Rio Muriaé, em Patrocínio do Muriaé (MG) para fevereiro, desde 1990. Fonte: ANA, CPRM e Hidroweb.

 

Aliás, os 9,53 metros do rio Muriaé, em Minas Gerais, em fevereiro de 2020 foi o maior dos seus registros, que começou em 1929. E este de 2022 é o terceiro maior da sua história, em 93 anos, desde 1929. Ficou atrás somente do nível de 2020 e dos 8,96 metros em 1979. 

 

Isso se deve à chuva volumosa dos últimos meses na região de Muriaé, como no estado mineiro de uma maneira geral, ou seja, desde a primavera do ano passado.

 

Só neste mês de fevereiro de 2022, em Muriaé(MG), na estação Zé Cirilo, choveu 355,5mm, pela estação do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden). Isso é mais do que o dobro da sua Climatologia de fevereiro (156,3mm).


Vale destacar que outros pontos no Rio De Janeiro, o rio Muriaé também transbordou, como em Italva e em Laje do Muriaé, além do rio Itabapoana, em Bom Jesus do Itabapoana, e o rio Pomba, em Santo Antônio de Pádua.

 

Mais detalhes sobre os níveis dos rios no Rio de Janeiro: Alerta para mais chuva forte no Norte/Noroeste do RJ. 

 

Acumulados de chuva bem elevados dos últimos 90 dias em Minas Gerais e no Rio de Janeiro

image (4)

Chuva acumulada no BR de 12 de novembro de 2021 a 10 de fevereiro de 2022 (Inmet)

 

Em uma média de 3 meses, ou nos últimos 30 dias, entre 12 de novembro de 2021 e 10 de fevereiro de 2022, foram entre 800mm e 900mm só na região de Patrocínio do Muriaé, em Minas Gerais. Porém, o destaque em Minas Gerais, nesse período, foi os mais de 1000mm em pontos da região metropolitana de Belo Horizonte e proximidades, como o mapa acima aponta. E no Rio de Janeiro foram entre 600mm e 900mm desde 12 de novembro de 2021.


Boa parte dessas chuvas tem a explicação da formação das Zonas de Convergência do Atlântico Sul(ZCAS). Foram 4 deste o final de dezembro de 2021 atingindo o Sudeste do país, como em Minas Gerais. E em torno de 9 ZCAS desde o início da primavera de 2021.


Além da atuação da La Niña, que faz com que as ZCAS se formem mais vezes, há uma parte da influência do Oceano Atlântico (na altura do Sudeste), que está levemente fria, o que ajuda na posição desse sistema. Ou seja, a formação da ZCAS se desenvolve neste caso pela circulação térmica indireta (onde o ar sobe frio e desce quente), e a bolha fria no Oceano Atlântico, na altura do Sudeste do país favorece a formação corredor de umidade na posição mais agora entre MG, RJ e ES, neste caso.

 

Entenda a chuvarada de verão sobre o Brasil

 

sst

Anomalia da temperatura da superfície do mar (°C) no Oceano Atlântico. Fonte:  Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA)

Previsão para o final de semana e a semana que vem
 

A recente Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) atuará pelo país até sábado (12). Ainda causando temporais e chuva volumosa desde o Amazonas até o Espírito Santo e o Rio de Janeiro, pegando o estado de Minas Gerais. Além disso, há o reforço de uma área de baixa pressão atmosférica nos níveis médios na altura da costa do Sudeste e mais um cavado em altitudes médias e altas (onde o cavado é uma baixa pressão relativa e mais alongada).

 

Nos próximos dias as chuvas não param sobre Minas Gerais e boa parte do Rio de Janeiro. Que ainda devem registrar pancadas de chuva, de intensidades fortes à temporais. No domingo e no início da semana que vem, as instabilidades são causadas mais pela umidade que vem da Região Norte, pelo calor e mais a circulação dos ventos em altitude. Na capital não chove na próxima segunda(14) e terça-feira (15). Nas demais áreas, onde há precipitação no Rio e em Minas Gerais, os acumulados poderão ser elevados, mesmo que pontualmente. 

 

A frente fria influencia mais o Rio de Janeiro mais entre terça e em especial na quarta-feira (16), pela costa do estado. E ajudará na formação de uma área de baixa pressão atmosférica na costa de SP e do RJ, e organizará melhor um corredor de umidade. Assim, a partir desse dia, as chuvas ganham cada vez mais intensidade pelo Sudeste do país. Os temporais são mais fortes, e os acumulados bem mais elevados, pegando os 4 estados do Sudeste e até o leste e norte do Paraná. Além do Centro-Oeste, pois essa baixa pressão na costa dará suporte para a umidade que vem da Região Norte ajudar a espalhar a precipitações por lá. 


Vale salientar que essa baixa pressão na costa do Rio de Janeiro, será um ciclone, que no primeiro momento tem características de ser um ciclone subtropical. Ainda estamos monitorando, para confirmar se realmente se tornará subtropical mesmo. 

 

Até o dia 16 de fevereiro deve chover entre 100 e 250 mm na região do rio Muriaé, em Minas Gerais e no Rio de Janeiro, e com acumulados entre 100 e 300mm em Minas Gerais e no Rio de Janeiro entre os dias 16 e 20 de fevereiro. Além do Mato Grosso e de Goiás, que junto com a metade sul e oeste de MG também poderão ter acumulados acima dos 300mm nesse período.

 

 download

Acumulados de chuva previstos entre os dias 11/02/2022 e 15/02/2022 pelo modelo GFS(Global Forecast System) Fonte: Climatempo.

 

 download (1)

Acumulados de chuva previstos entre os dias 16/02/2022 e 20/02/2022 pelo modelo GFS(Global Forecast System) Fonte: Climatempo.

 wrf

Acumulados de chuva previstos entre os dias 11/02/2022 e o início de16/02/2022 pelo modelo WRF(Weather Research and Forecasting Model) Fonte: Climatempo.

 

 

Depois de 182 dias, Cantareira registra volume acima de 40%

 

 

 

+ mais notícias