Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Substituto russo do McDonalds abre primeiras lojas

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

7 min de leitura

Restaurantes vão operar com novo nome e logotipo, mas nos mesmos locais, com a mesma equipe e pratos quase idênticos aos da rede de fast-food americana, que deixou o país após 32 anos devido à guerra na Ucrânia

 

Os primeiros restaurantes da rede que substituirá o McDonald's na Rússia abriram as portas neste domingo (12/06) em Moscou sob o slogan "o nome muda, o amor permanece".

 

Os 15 restaurantes vão operar com novo nome e logotipo, mas nos mesmos locais, com a mesma equipe e pratos quase idênticos aos da rede de fast-food americana. Nesta segunda-feira, outros 50 restaurantes da nova cadeia devem abrir.

 

A nova rede se chama "Vkousno i totchka", que significa "Delicioso e ponto final" em português. O novo logotipo da rede apresenta um círculo vermelho e dois traços laranjas inclinados, representando um hambúrguer e duas batatas fritas

 

"Vamos tentar fazer tudo para que os nossos clientes não notem qualquer diferença, tanto a nível de ambiente e sabor quanto de qualidade", assegurou o diretor-geral da cadeia russa de fast-food, Oleg Paroïev.

 

"Não vai ser pior, com certeza. Vamos tentar melhorar", acrescentou o novo proprietário, o empresário russo Alexandre Govor. "Esperamos que o número de clientes não diminua, mas, pelo contrário, que aumente. Especialmente porque agora é uma empresa 100% russa", enfatizou.

 

Como resultado da invasão da Ucrânia pela Rússia, o McDonald's vendeu no mês passado seus restaurantes a Govor. O grupo americano já havia decidido fechar temporariamente suas 847 lanchonetes na Rússia devido à invasão e, posteriormente, informou o encerramento de suas operações no país depois de 32 anos.

 

Cardápio quase igual
No novo menu, quase a mesma variedade de antes, mas com novos nomes. O "Royal Deluxe", por exemplo, agora se chama "Grand Deluxe", o hambúrguer "Filet-o-Fish" mudou para "Fish Burger" e o "Double Royal" se tornou "Double Grand". Além disso, o prefixo "McDo" não aparece mais em nenhum nome. Além disso, o fato de o McDonald's na Rússia já adquirir anteriormente seus produtos de agricultores locais deve garantir que os sanduíches continuem a ter um sabor semelhante.

 

"Fomos obrigados a retirar certos produtos do cardápio porque fazem referência direta ao McDonald's, como o McFlurry e o Big Mac", esclareceu Oleg Paroïev.

 

Segundo ele, os preços "aumentaram ligeiramente" devido à inflação que atingiu fortemente a Rússia desde que as novas sanções ocidentais foram impostas em decorrência da invasão.

 

Sergei, de 15 anos, testou neste domingo a nova oferta de uma filial no centro de Moscou que já foi a principal loja do McDonald's.

 

"O sabor permanece o mesmo. O refrigerante é diferente, mas o hambúrguer realmente não mudou", disse, enquanto comia um hambúrguer de frango e batatas fritas.

 

Elena, programadora e mãe de dois filhos, juntou toda a família para um almoço em um dos restaurantes do novo "Mc Donald's russo", onde desde a manhã deste domingo, bem antes da abertura oficial, dezenas de pessoas esperavam, na Praça Pushkin.

 

O novo dono
Alexandre Govor, que já operava 25 restaurantes do grupo americano na Sibéria desde 2015, comprou as atividades do McDonald's em maio.

 

Cofundador de uma empresa de refinamento de petróleo, a Neftekhimservice, o empresário concordou em manter os cerca de 62 mil funcionários durante pelo menos dois anos, em condições equivalentes às que tinham anteriormente.

 

O empresário, de 62 anos, natural do sul da Sibéria, afirma ter "planos muito ambiciosos".

"Queremos atingir as mil lojas em cinco ou seis anos", acrescentou o empresário.

 

Presença desde a era soviética
O McDonald's iniciou suas operações em Moscou em janeiro de 1990, ainda na era soviética, e a inauguração da primeira loja na capital do país foi encarada à época como um dos símbolos da abertura do antigo império comunista para o exterior.

 

O primeiro McDonald's, na Praça Pushkin, no centro de Moscou, foi inaugurado dois anos antes do colapso da União Soviética, e recebeu mais de 30 mil clientes no dia da inauguração - um recorde mundial para a marca americana.

 

A fila gigantesca em frente à loja tornou-se lendária e o restaurante, o mais visitado da rede do mundo: em 30 anos, recebeu mais de 140 milhões de clientes, o equivalente a quase toda a população russa.

A Rússia, onde o McDonald's administrava diretamente mais de 80% dos restaurantes que usam seu nome, respondia por 9% da receita da empresa e 3% de seu lucro operacional.

 

O McDonald's já tinha fechado temporariamente suas mais de 800 lojas na Rússia em março, no início da guerra de agressão do regime de Vladimir Putin contra a Ucrânia. Não foi a primeira vez que a rede tomou uma decisão do gênero. Em 2014, a empresa fechou todas as suas lojas na região ucraniana da Crimeia, após a península ser anexada ilegalmente pela Rússia.

 

Uma rede russa chamada RusBurger acabou assumindo os antigos pontos da rede americana na Crimeia. Com o lema "sabor da Rússia", a rede passou a oferecer produtos como o "X-Burguer do Czar" e o "Czar de Frango" em vez dos tradicionais Big Macs e McChickens.

 

Este conteúdo é uma obra originalmente publicada pela agência alemã DW. A opinião exposta pela publicação não reflete ou representa a opinião da Climatempo ou de seus colaboradores.

 

Leia também:

Inflação da zona do euro bate recorde e chega a 8,1% em maio

Tailândia autoriza plantio, mas fumar maconha segue proibido

PIB brasileiro cresce 1% no primeiro trimestre

Logo Deutsche Welle Deutsche Welle

+ mais notícias