Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Clima pode impactar vendas no varejo

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

6 min de leitura

Foto: Istock

 

A nova estação se aproxima! O Inverno começa no próximo dia 21 de junho, às 00h32, horário de Brasília e se estende até às 16h21min do dia 22 de setembro de 2021.

 

O mercado varejista está aquecido com as vendas para o Dia dos Namorados, no próximo final de semana, 12 de junho. De acordo com a pesquisa realizada pela FCDLESP (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo), neste ano, as vendas de Dia dos Namorados devem apresentar um aumento de 8% em relação ao volume de vendas de 2020. A expectativa é que a data aqueça o setor varejista e provoque um equilíbrio no balanço semestral.

 

Até o final da da temporada, os lojistas pretendem liquidar as peças de Inverno,
mas dependem da previsão do tempo. Será que vem mais frio por aí? 

 

Segundo a Climatempo Meteorologia, esse Clima mais seco na região central do Brasil confirma a previsão climática elaborada pelos meteorologistas com um ano de antecedência.

 

O meteorologista Celso Oliveira antecipa que antes do final do Outono teremos a passagem de pelo menos mais uma frente fria acompanhada de ar polar. Uma inclusive nesta semana, com potencial para ocorrência de geada nos pontos mais altos da serra gaúcha e catarinense e queda de temperatura em outras áreas como São Paulo, Rio De Janeiro e Mato Grosso do Sul.

 

Dia dos Namorados terá frio e geada no Sul do Brasil

 

No período de 14 a 20 de junho há uma tendência de chuva para o Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Novamente, a chuva mais forte fica concentrada no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul. Já Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais seguem com pouca chuva e com uma tendência de tempo seco.

 

Destaque para o Norte e Nordeste do Brasil. Nestas áreas, as chuvas ficam concentradas mais ao norte destas Regiões.

 

Varejo

 

Para o seu segmento no varejo, quais as consequências de um dia chuvoso ou ensolarado? Se você percebe que seus resultados oscilam junto com o clima, deve ter a consciência da importância de ser informado, com antecedência sobre o que acontecerá com o tempo.

 

O varejo é um dos segmentos que mais sofre com a crise do país. A queda do poder aquisitivo dos brasileiros em decorrência de inúmeros fatores contribuiu para uma baixa nas vendas nas mais diversas áreas. Porém, não é esse o único impasse que o setor enfrenta. O clima também tem se mostrado um desafio e tanto.

 

Os relatórios e dados meteorológicos conseguem guiar as grandes empresas e ditar quais serão as necessidades dos clientes, oferecendo os produtos com antecedência. “Durante os dias mais frios, por exemplo, produtos como aquecedores, alimentos, bebidas em geral e a coleção outono-inverno vendem muito. Por outro lado, se faz calor no inverno, o impacto é exatamente o contrário”, explica o meteorologista.

 

Dia do Namorados 

 

“O Dia dos Namorados ainda é a terceira data mais importante para o varejo. Roupas, perfumes e chocolates serão os itens mais procurados na data. Flores e acessórios também estarão presentes na lista de produtos e podem resultar em crescimento das vendas”, explica o presidente da FCDLESP, Maurício Stainoff 

 

Mesmo com a demanda do e-commerce, a maior concentração das vendas vai permanecer no comércio físico - os shoppings e as lojas de rua irão receber o maior fluxo de consumidores. Para a entidade, cerca de um terço das vendas será pelo ambiente virtual e o restante nas lojas físicas, o que resultará para o estado de São Paulo, um montante de 7 bilhões de vendas  em torno da data. As lojas podem aproveitar o período para oferecer promoções variadas e descontos. O objetivo é recuperar parte do seu caixa e fluxo, diz Stainoff.

 

Dados de clima são importantes para o varejo

 

Para auxiliar o setor quanto às informações climáticas, a Climatempo disponibiliza uma consultoria específica de Varejo.

 

“Nossa ferramenta mostra aos clientes as condições meteorológicas de até 12 meses para frente com acompanhamento de especialista à curto prazo para ajudar o cliente na tomada de decisão, seja para o ponto de venda, otimização do estoque, logística ou comunicação”, explica Rafael Augusto, vice-presidente de mídia da Climatempo.

 

Com base em análises meteorológicas, embasadas por comparativos com o ritmo de venda de determinado produto, a Climatempo consegue pontuar para os varejistas qual o melhor momento para vendas e quais as necessidades de estoque.

 

“As soluções da companhia utilizam meteorologia de precisão, sempre com foco na inovação científica, na tecnologia e na assessoria de qualidade. Por conta disso, os produtos e serviços oferecidos contribuem com a melhora da produtividade na execução de projetos e com a otimização de planejamentos diversos”, diz Rafael Augusto.

 

Leia também: Semana instável e com temperaturas mais baixas no Sudeste

+ mais notícias