Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Chuva à vista para o Mato Grosso do Sul

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

 

 

 

O estado de Mato Grosso do Sul também vem sofrendo com estiagem, semelhante ao que ocorre na Região Sul do Brasil. A pior situação é no sul do estado, onde vem chovendo abaixo do normal desde outubro. Segundo levantamento de vários institutos que monitoram a precipitação sobre o Brasil, o último mês com chuva acima da média, de forma ampla, em Mato Grosso do Sul foi outubro de 2021.

 

Os mapas mostram a anomalia de precipitação no Centro-Oeste em outubro, novembro e em dezembro de 2021.

 

 

Anomalia de precipitação no Centro-Oeste em outubro, novembro e em dezembro de 2021

 

 

Os mapas mostram a anomalia de precipitação no Centro-Oeste em janeiro de 2022, até o dia 24, comparado com janeiro de 2021

 

anomalia de precipitação no Centro-Oeste em janeiro de 2022, até o dia 24 x janeiro de 2021

 

 

Possibilidade de recorde de calor em Campo Grande

 

A temperatura máxima em Campo Grande em 25/1/2022 foi de 31,3°C, segundo a medição oficial do Inmet. Não houve novo recorde. Porém, a chance de recorde ainda existe para esta quarta-feira, 26/1, com temperatura máxima prevista e 34°C.

 

Nesta terça-feira, 25/1, Angélica teve calor de 39,1°C e  Itaquiraí: 38,7°C. As duas temperaturas ficaram entre as 10 mais altas do país, pela medição do Inmet (Instituto nacional de meteorologia )

 

É fake: onda de calor em fevereiro de 2022

 

Calor e pancadas de chuva nesta quarta


Para esta quarta-feira, 26, a previsão é de períodos com sol forte e muito calor em Mato Grosso do Sul, com previsão de pancadas de chuva e raios à tarde e à noite. A chance de chuva é baixa na região de Corumbá. Temperaturas entre 35°C e 40°C devem ser observadas no estado

 

Frente fria aumenta a chuva em MS

 

A partir de quinta-feira, 27 e até o domingo, não há expectativa de recorde de calor porque  espera-se um grande aumento da nebulosidade e pancadas de chuva frequentes, que vão dificultar a elevação da temperatura.


O aumento da nebulosidade e das condições para chuva está associado com o deslocamento de uma frente fria que terá força para quebrar o bloqueio da massa de ar quente, que desde meados de janeiro impede que as frentes frias entrem no interior do Brasil.


Assim, entre a quinta-feira, 27, e o domingo, 30 de janeiro, todo o MS terá muitas nuvens e pancadas de chuva frequentes, que podem ser fortes. 

+ mais notícias