Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Xangai decreta lockdown para mais de 2,6 milhões de moradores

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

Bairro da metrópole chinesa será isolado para testagem em massa, em meio a temores de novo surto de covid-19. Medida é anunciada uma semana após flexibilização de bloqueio na cidade

 

As autoridades de Xangai determinaram um lockdown num de seus bairros, para realização de uma testagem em massa de covid-19. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (09/06), uma semana após a metrópole chinesa ter flexibilizado um severo bloqueio de dois meses por causa de um surto da doença.

 

A medida começa a vigorar neste sábado, afetando os 2,65 milhões de moradores do distrito de Minhang, no sudoeste da cidade. Durante o período de testagem, o bairro será submetido a restrições severas. Possivelmente os residentes terão que permanecer em casa.

 

As autoridades não deram um prazo exato para o bloqueio, que deverá ser suspenso após a coleta das amostras. Também não ficou claro quais medidas seriam tomadas se moradores do distrito testarem positivo.

 

De acordo com a estratégia chinesa de "zero covid", todos os infectados devem ser isolados, e os contatos próximos – geralmente todo o prédio ou os bairros em que vivem –, submetidos a quarentena.

 

Novas infecções
Nove novas infecções locais pelo novo coronavírus foram registradas em Xangai nesta quinta-feira, mas nenhuma delas em Minhang.

 

A China submeteu a população a medidas rigorosas contra a covid-19 desde o início da pandemia, tendo conseguido manter por algum tempo o número de infecções num nível relativamente baixo, na comparação internacional.

 

Entretanto, com o surgimento da variante ômicron, foram registrados grandes surtos. Um foco foi inicialmente Xangai, levando as autoridades a isolarem a cidade com seus 25 milhões de habitantes no início de abril. No início de junho, as medidas foram flexibilizadas novamente para a maioria dos moradores da metrópole econômica.

 

Este conteúdo é uma obra originalmente publicada pela agência alemã DW. A opinião exposta pela publicação não reflete ou representa a opinião da Climatempo ou de seus colaboradores.

 

Leia também:

 Japão volta a receber turistas após dois anos

118 signatários aderem missão pelas mudanças climáticas

Cidade de 3.400 anos reaparece devido à seca no Iraque

Logo Deutsche Welle Deutsche Welle

+ mais notícias