Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

2015: recorde de tufões e furacões

19/10/2015 às 18:11
por Josélia Pegorim

Atualizado 26/10/2015 às 10:57

Em dia 17 de outubro de 2015, o tufão Koppu se tornou o 19º ciclone tropical a atingir a categoria 4 ou 5 tornando 2015 o ano com o maior número de tufões ou furacões no Hemisfério Norte que alcançaram essas marcas. Porém já no domingo outro ciclone tropical entrou na lista: o tufão Champi,  considerado muito forte, fazendo 2015 ter 20 dos tufões ou furacões que alcançaram a categoria 4 ou 5.

O recorde foi divulgado nesta quinta-feira, 19, pelo canal de informações meteorológicas dos Estados Unidos, Weather Chanel.

 

 

 

No dia 19 de outubro, depois de ter causado muita destruição e morte nas Filipinas, Koppu enfraqueceu para uma tempestade tropical e ainda provocava chuva torrencial ao norte do país e no mar do sul da China. Champi continuava como um tufão muito forte, produzindo rajadas de vento de 200 km/h a 250 km/h.

 

Influência do El Niño

A maioria desses sistemas ocorreu no Pacífico oeste, central ou leste. No Atlântico, apenas o furacão Joaquim chegou à categoria 4 este ano. O grande número de ciclones tropicais observados no Pacífico em 2015 está associado ao forte El Niño que apresenta anomalias positivas de até 4ºC.

 

 

 

 

Esse fenômeno faz com que o cisalhamento (velocidade e a direção do vento variam com a altitude)  do vento no Pacífico central e no Pacífico leste diminua, favorecendo o desenvolvimento e intensificação dos sistemas de Baixa Pressão que dão origem aos fortes ciclones. No Pacífico Leste, além da diminuição do cisalhamento, as anomalias positivas da temperatura da superfície do mar dão ainda mais energia para as tempestades.

 

O recorde anterior era de 2004, com 18 ciclones tropicais com categoria 4 ou 5 registrados no Hemisfério Norte. 

 

LISTA DOS FURACÕES OU TUFÕES QUE ALCANÇARAM CATEGORIA 4 OU 5 EM 2015

 

- Super Tufão Maysak: 30 de março/ 01 de abril

- Super Tufão Noul: meados de maio

- Super Tufão Dolphin: meados de maio

- Furacão Andres: 31 de maio/ 01 de junho

- Furacão Blanca: começo de junho

- Tufão Chan-hom: começo de julho

- Furacão Dolores: meados de julho

- Super Tufão Nagka: começo de julho

- Super Tufão Soudelor: começo de agosto

- Furacão Hilda: começo de agosto

- Tufão Goni: meados de agosto

- Super Tufão Atsani: meados de agosto

- Furacão Jimena: fim de agosto

- Furacão Ignacio: fim de agosto

- Furacão/Tufão Kilo: final de agosto/começo de setembro

- Super Tufão Dujuan: final de setembro

- Furacão Joaquim: começo de outubro

- Tufão Mujigae: começo de outubro

- Super Tufão Koppu: meados de outubro

- Super Tufão Champi: meados de outubro

 

 

 

Veja também

 

Os impactos do El Niño no Brasil até agora

 

[eBook] Os principais perigos do fenômeno El Niño na construção civil

 

Brasil, local do mundo onde mais caem raios?